"ENTRE NÓS E AS PALAVRAS, O NOSSO DEVER DE FALAR" Mário Cesariny, in:Pena Capital
Quarta-feira, 6 de Fevereiro de 2008
Era uma vez um senhor chamado Vasconcelos...

Este email aparececeu-me de vários lados e com várias escritas e até  em pps.

Aqui fica. A ser verdade, que dizer do meu País? Que está a saque? é pouco...


 

A história podia começar assim, como qualquer história de encantar  crianças, se  é que às crianças de hoje ainda se contam histórias de encantamento e  final feliz.                                                              
Mas era uma vez um senhor chamado Jorge Vasconcelos, que era presidente de uma coisa chamada ERSE, ou seja, Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, organismo que praticamente ninguém conhece e, dos que conhecem, poucos devem saber para o que serve.

Mas o que sabemos é que o senhor  Vasconcelos pediu a demissão do seu cargo porque, segundo consta, queria que  os aumentos da electricidade ainda fossem maiores.                         
 Ora, quando alguém se demite do seu emprego, fá-lo por sua conta e risco, não lhe sendo devidos, pela entidade empregadora, quaisquer reparos,  subsídios ou outros quaisquer benefícios. Porém, com o senhor Vasconcelos não foi assim.

Na verdade, ele vai para casa com 12 mil euros por mês  - ou seja, 2.400 contos - durante o máximo de dois anos, até encontrar um novo emprego.                                                                   
                                                                           
Aqui, quem me ouve ou lê pergunta, ligeiramente confuso ou perplexo:

«Mas você não disse que o senhor Vasconcelos se despediu ?».

E eu respondo:     
«Pois disse. Ele demitiu-se, isto é, despediu-se por vontade própria!».

E você  volta a questionar-me:

«Então, porque fica o homem a receber os tais 2.400contos por mês, durante dois anos? Qual é, neste país, o  trabalhador que se despede e fica a receber seja o que for?».            
                                                                            
 Se fizermos esta pergunta ao ministério da Economia, ele responderá, como já respondeu, que «o regime aplicado aos membros do conselho de administração da ERSE foi aprovado pela própria ERSE ».

E que, «de acordo com artigo 28 dos  Estatutos da ERSE, os membros do conselho de administração estão sujeitos ao  estatuto do gestor público em tudo o que não resultar desses estatutos».  
 Ou seja:

sempre que os estatutos da ERSE foram mais vantajosos para os seus gestores, o estatuto de gestor público não se aplica.                     
                                                                           
 Dizendo ainda melhor:

o senhor Vasconcelos (que era presidente da ERSE desde a sua fundação) e os seus amigos do conselho de administração, apesar de  terem o estatuto de gestores públicos, criaram um esquema ainda mais vantajoso para si próprios, como seja, por exemplo, ficarem com um  ordenado milionário quando resolverem demitir-se dos seus cargos. Com a bênção avalizadora, é claro, dos nossos excelsos governantes.                    
                                                                           
Trata-se, obviamente, de um escândalo, de uma imoralidade sem limites, de uma afronta a milhões de portugueses que sobrevivem com ordenados baixíssimos e subsídios de desemprego miseráveis. Trata-se, em suma, de um desenfreado, abusivo e desavergonhado abocanhar do erário público .        
                                                                           
 Mas voltemos à nossa história. O senhor Vasconcelos recebia 18 mil euros mensais, mais subsídio de férias, subsídio de Natal e ajudas de custo. 18 
 mil euros seriam mais de 3.600 contos, ou seja, mais de 120 contos por dia, sem incluir os subsídios de férias e Natal e ajudas de custo.             
                                                                           
Aqui, uma pergunta se impõe:

Afinal, o que é  - e para que serve - a ERSE?  

A missão da ERSE consiste em fazer cumprir as disposições legislativas para o sector energético.

E pergunta você, que não é trouxa:

«Mas para fazer  cumprir a lei não bastam os governos, os tribunais, a polícia, etc.?».    
                                                                           
Parece que não.

A coisa funciona assim: após receber uma reclamação, a  ERSE  intervém através da mediação e da tentativa de conciliação das partes   envolvidas.

Antes, o consumidor tem de reclamar junto do prestador de serviço. Ou seja, a ERSE não serve para nada. Ou serve apenas para gastar somas astronómicas com os seus administradores.                           
Aliás, antes da questão dos aumentos da electricidade, quem é que sabia que existia uma coisa chamada ERSE?                                           
Até quando o povo português, cumprindo o seu papel de pachorrento bovino, aguentará tão pesada canga?  E tão descarado gozo?                                                     
Politicas à parte, estou em crer que perante esta e outras, só falta mesmo um Carrasco capaz de os enforcar.                                            
Já agora façam lá o favorzinho de  reenviar para a V/ lista de amigos, pelo menos sempre se fica a saber de coisas importantes que retiram toda a credibilidade a esta cambada de MALANDROS  deste País que de País só começa a figurar o nome .      



publicado por lamire às 19:32
link do artigo | comentar | favorito
|

Sempre em roda
Molhobico
Julho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


pesquisar
 
Molha o bico aqui:
links
artigos recentes

A GRANDE MINA DA EDP

Os Moralistas

Tomada de Posse do Presid...

12 de Março de 2011 - Um ...

Portal do cidadão! Inacre...

Estudo do Economista Álva...

O Diário do Professor Arn...

Casa de férias do Sr. Sil...

Alguém se Candidata a ser...

Reformas na Suíça com tec...

A mania saloia dos diplom...

Cavaco ganhou €147 mil co...

TC critica despesa injust...

Vamos pôr a EDP na Linha!...

Cum carago!

A EDP e os PRÉMIOS!

Os nossos maiores emprega...

O desperdício de Lisboa

Bem Prega "Frei Tomás"!.....

Viva a Maria !!!

4 Vergonhas

CHULICE

"Manso é a tua tia, pá!"

Prestação Familiar?? Vão ...

Mulher com "Tomates"

arquivos

Julho 2011

Junho 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Maio 2010

Abril 2010

Fevereiro 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Setembro 2002

Novembro 2001

Setembro 2001

Março 2001

Dezembro 2000

Setembro 2000

Junho 2000

Fevereiro 2000

Dezembro 1999

Outubro 1999

Agosto 1998

Abril 1998

Março 1998

Fevereiro 1998

Outubro 1997

Julho 1997

Junho 1997

Maio 1997

Abril 1997

Janeiro 1997

Junho 1996

tags

todas as tags

o nosso email
molhobicopower@sapo.pt
mais comentados
subscrever feeds