"ENTRE NÓS E AS PALAVRAS, O NOSSO DEVER DE FALAR" Mário Cesariny, in:Pena Capital
Sexta-feira, 18 de Fevereiro de 2005
Sobre as Irmãs Carmelitas
Sobre este tema encontrei algo no Blog Vareta Funda, que não é aquilo que penso, embora, de certa forma, possa concordar com alguns pontos do articulista.
Como não consegui entrar nos comentários, aqui fica este texto e o meu comentário ao mesmo:
De "http://www.varetafunda.blogspot.com" , by "mimosa":
...........................
"Não me perguntem qual o motivo, porque seria entrar em algo que não quero aqui focar, mas há uns anos atrás, fui com o meu pai, a uma igreja em Compostela. Era mais uma que eu visitei, e como tal, não estava sequer preparado para o que iria encontrar.
Esta igreja, ou antes, um pequeno convento, albergava uma comunidade que tinha por nome:
Carmelitas Descalças.

Nada de mais, até termos batido à porta. Num pequeno hall, fresco, lúbregue, fechado, encontrava-se a campainha. Tocámos. Aliás..puxámos. Era uma "sineta".
Junto á porta, firme, poderosa, grossa, velha, havia um pequeno postigo, mas que estava chumbado. Junto à porta, e nas paredes de pedra, estava entranhado um sistema feito de madeira. Era como que um balde, dividido em 4 partes iguais. Perguntei ao meu pai para que servia...Nesse preciso momento toca um sino no interior do convento. Silêncio sepulcral.

Nisto, o "balde", como que por magia, roda sobre um eixo...e ouvimos a pergunta ( em espanhol ):
- Quem é?
Ao que o meu pai, fez questão de responder.

Mais um toque do sino. Novo silêncio. 1 minuto depois ouvi o rodar de uma chave...3 trincos...de novo outra chave...novos 3 trincos.
Eis que finalmente surge alguém. Aliás... duas senhoras. Duas irmãs carmelitas, com as suas vestes que naquela comunidade, eram de cor muito escura ( tinham também aquelas "abas" que não sei o nome próprio ). Cumprimentaram-nos com um aperto de mão...o meu pai apresentou-me. O nosso propósito no local, tinha a ver com o trabalho do meu pai, que teria que ser feito no piso superior da igreja, no chamado "balcão". Para acedermos a este piso, tivemos que entrar num monta-cargas sem qualquer tipo de protecção, completamente arcaico, que se encontrava numa sala escura, por onde entrava um feixe de luz....tenso..frio.

Quando chegámos ao primeiro piso, aconteceu talvez uma das coisas mais surreais com que me deparei desde que provavelmente nasci. Uma das irmãs, ao sentir a nossa presença, e porque acidentalmente nos cruzámos com ela na intersecção de dois corredores, puxou a túnica para a cabeça, tapando a cara e a face, e curvou-se quase que tocando com a palma da mão no chão, e correu rapidamente para a sua "cela". Foi, talvez a vez em que me senti o pior ser humano, e que percebi talvez aquilo que os "mosntros" sentem, ou talvez mesmo, senti ali que eu estaria mais perto do Diabo do que do próprio Deus que ali veneravam.

Só contactámos com 3 pessoas naquele convento. Duas que tinham essa permissão, e esta outra que passou por nós, como o vento. O meu pai acabou o seu trabalho e saímos. Não sem antes, elas terem jurado que iriam rezar pela minha saúde, e me oferecerem um porta-chaves que guardo ainda hoje. Antes de fecharem a porta, cada um pegou numa chave. Saímos. Ouvi uma chave a rodar...3 trincos. Posteriormente outra. 3 trincos. Subimos as escadas. Entrámos no carro. Viemos para Coimbra.

Foi então que no Caminho, finalmente consegui falar com o meu pai, e me apercebi que não tinha aberto a boca uma única vez depois de ter entrado naquele local. Obtive então a explicação sobre aquela comunidade, que aquele "balde" servia para se colocarem os alimentos, porque as irmãs nunca iam à rua fazer compras...que a porta tinha dois trincos, porque aquelas duas irmãs eram responsáveis cada uma por uma chave, para evitar que alguém fugisse...etc etc...

Morreu dia 13 a irmã Lúcia. Faleceu na minha cidade...onde "vivia" no convento de Carmelo há talvez 50 anos ( não sei bem, e sou sincero...não ouvi ainda nenhuma notícia ). Sempre que ali passava de carro, junto ao convento, lembrava-me das outras irmãs que talvez estivessem a rezar por mim. Dava-me um certo conforto pensar nisso. Provocava-me uma certa tensão, imaginar como viveria a irmã Lúcia, porque soube de perto como é que as Carmelitas vivem...o que é o enclausuramento. Parece uma palavra complexa, mas viver a palavra será porventura um dos maiores sacrifícios de um ser humano.

Por opção ou não, Lúcia viveu enclausurada. Por opção ou não, Lúcia quis viver como uma Carmelita.
Uma Carmelita certamente, e pela forma como viveu toda a vida, não gostaria depois de morta - e acreditando piamente que estaria em viagem para o céu -, ser alvo de toda esta pseudo-homenagem, de acto exposto contínuo, que mais parece ser para alguém tipo "princesa Diana", do que para um ser humano que viveu sempre arredada de todas as privacidades por homenagem a Alguém em que acreditava. Pelas suas convicções. Pelo seu trabalho. Pela sua fé.

Por tudo isto é que penso que o Catolicismo está em desuso. O Catolicismo é triste. Não só porque não se conseguiu desenvolver e adaptar a uma nova realidade, como também, quando essa "antiguidade" se vê confrontada com os dias de hoje, dá neste festival de absurdos a que as Carmelitas não precisavam de assistir.
É que ninguém pense, que elas têm voz de protesto, ou vêm para a rua dizer que não querem esta exposição de uma das "suas".

O povo não entende. Confundem feiras com homenagem.
Não sabem que a maior homenagem é deixar a Lúcia ir ter com os seus...e falar de novo com Fátima!

P.s. - Por tudo isto me questiono se ainda tenho fé suficiente para continuar a ser católico! "

.................................
O meu comentário:

Caro amigo,
Compreendo a forma sincera como se apresenta neste texto.Confesso que também eu muitas vezes me sinto confuso. No entanto, é nas horas difíceis que se procura um amigo. E muitas vezes esse amigo está num imaginário próprio de quem tem sempre mais um pouco de esperança em algo...
As irmãs Carmelitas têm o direito de viverem a sua vida da forma como optaram, tal como outro ser qualquer o tem. Que é que eu tenho a ver com alguem querer ser homossexual, por exemplo, ou passar a vida debaixo da água à procura de peixinhos, ou passar a vida nos trópicos, ou ser camicaze, eu sei lá que mais? Há muita forma de nos tornarmos realizados.
As Irmãs Carmelitas admiro-as pela sua pureza de vida, essência de procura, essência de princípios, despreendimento da vida natural. É uma opção difícil, mas que uma vez tomada se tem que aceitar. A sua vida interior faz-nos pensar que, por vezes, somos mais ricos sem nada à volta, do que a abarrotar de presunção e água benta.
A experiência que tiveste um dia, é pouco, comparada com a vida da irmã Lúcia. Só quem conviveu dia a dia com uma alma como essa se pode sentir numa felicidade diferente. Nem é felicidade, é outra coisa indecifrável. Hoje, o problema é que tudo o que roda à volta de Fátima não é a pureza de Lúcia mas sim a ambição do homem que encontrou em Fátima o filão para a sua ambição desmesurada de cretino capitalista, a começar pela própria organização do Santuário. Bastará conhecer todos os meandros das várias minas para onde são canalizados os milhões que diariamente ali caiem. Mas os pobres, esses continuam pobres, como sempre. Amen!


publicado por lamire às 10:54
link do artigo | comentar | favorito
|

Sempre em roda
Molhobico
Julho 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


pesquisar
 
Molha o bico aqui:
links
artigos recentes

A GRANDE MINA DA EDP

Os Moralistas

Tomada de Posse do Presid...

12 de Março de 2011 - Um ...

Portal do cidadão! Inacre...

Estudo do Economista Álva...

O Diário do Professor Arn...

Casa de férias do Sr. Sil...

Alguém se Candidata a ser...

Reformas na Suíça com tec...

A mania saloia dos diplom...

Cavaco ganhou €147 mil co...

TC critica despesa injust...

Vamos pôr a EDP na Linha!...

Cum carago!

A EDP e os PRÉMIOS!

Os nossos maiores emprega...

O desperdício de Lisboa

Bem Prega "Frei Tomás"!.....

Viva a Maria !!!

4 Vergonhas

CHULICE

"Manso é a tua tia, pá!"

Prestação Familiar?? Vão ...

Mulher com "Tomates"

arquivos

Julho 2011

Junho 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Maio 2010

Abril 2010

Fevereiro 2010

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Setembro 2002

Novembro 2001

Setembro 2001

Março 2001

Dezembro 2000

Setembro 2000

Junho 2000

Fevereiro 2000

Dezembro 1999

Outubro 1999

Agosto 1998

Abril 1998

Março 1998

Fevereiro 1998

Outubro 1997

Julho 1997

Junho 1997

Maio 1997

Abril 1997

Janeiro 1997

Junho 1996

tags

todas as tags

o nosso email
molhobicopower@sapo.pt
mais comentados
subscrever feeds